Contando sua História com:- Hamilton Oliveira


Bom, geralmente estou do outro lado entrevistando, mas não podia  recusar o pedido David e deste blog que adoro e acompanho sempre que posso,  então irei lhes contar um pouco dessa minha pequena jornada chamada vida...

Bom, pra quem ainda não me conhece sou autor do blog   www.casadaptada.com.br onde compartilho um pouco das ideias, anseios, dificuldades e notícias desse universo de 45 milhões de deficientes no Brasil. Pensei em criar o site após a compra de meu apartamento, o que desde então ocasionou muitas dúvidas sobre como adaptá-lo a minha nova vida e como deixa-lo o mais confortável e que proporcionasse minha máxima independência, coisa que ainda não consegui.


Sou apaixonado por tecnologia e novas ideias e desse modo compartilho todas as dicas que acredito que possam mudar a vida de muitos, o que de fato vem ocorrendo, graças a Deus, e agradeço muito o feedback dos nossos leitores, é gratificante saber que as noites perdidas estão valendo a pena.

Sou o caçula, 8º filho da 16ª das 17 mulheres de meu pai , nasci no Rio de Janeiro, morei em goiás (terra de minha mãe) e aos 7 vim para Bahia, terra de meu pai, e desde então é meu lar, curso administração na Universidade Estadual e estou aposentado pelo banco do Brasil.


Em 2010 me acidentei perto de Salvador e “estou” tetra desde então, e me considero renascido após esse dia, 5 anos completados agora dia 1 de abril (Muitos amigos ao receberem a mensagem acharam que era mentira), fraturei minha cervical (c6/c7) ao capotar o carro na estrada, digo "ESTOU", por que diferente do que acham alguns médicos ainda pretendo ter o prazer de pisar na areia, sentir tudo que a pele nos proporciona, e principalmente voltar a ter independência nas mãos (afinal todo "tetra" quer ser "para").

Contudo deixo nas mãos dos cientistas e do tempo. procuro levar minha vida da forma mais intensa possível com todas as dificuldades que nos afetam, sem dramas e choros desnecessários, agradeço muito a Deus por ter me dado a chance de me tornar uma pessoa melhor, e acredito que certas responsabilidades só se dão aos fortes e capazes.


Agradeço incondicionalmente minha família, minha base forte, minha ex, fisioterapeutas, cuidadoras, aos meus amigos que juntos não me deixaram ter tempo de sequer pensar em depressão ou desistir de algo, agradeço até mesmo aqueles que nos criam dificuldades, pois nos movem a "correr" (apesar de não andar, rsrsrs) atrás dos nossos sonhos com afinco e vontade ainda maior, pois estes nos tiram da zona de conforto.

Como disse certa vez o Eduardo, do blog tetraplégicos:

"É fácil viver dependente dos outros? De maneira nenhuma! Acostumei-me? Não, nunca me acostumarei! Aceitei? Nem pensar"

Contudo acredito que possamos viver dignamente, fazendo as mesmas besteiras e erros como todo ser humano, com seus problemas e imperfeições, para isso devemos buscar nossos direitos, que vão além da igualdade, mas sim justiça/Equidade!


Foi com esse objetivo que me juntei aos excelentes blogueiros sobre o assunto, e para isso dispendo de muitas horas por dia e madrugadas pesquisando, lendo e escrevendo, fico injuriado quando ouço até mesmo de meus familiares: "eu não tenho tempo, mas você, entretanto"... ou ainda quando digo que trabalho, vejo aquela expressão "como assim?" , simplesmente por me ver 24 horas no dia com computador, tablet, pensam que passo o tempo em redes sociais, não sabem 1/3  do quanto leio,  estudo e trabalho...

Quantas horas gastei para “pequenos” ganhos extraordinários com fisioterapia..., desde minha cirurgia, onde só mexia o pescoço...

É interessante ver a expressão hoje quando entro em qualquer consultório, onde o médico custa a acreditar que "estou" tetra. "Como assim você é tetra e mexe tanto os braços?" ou "Por que você não usa uma cadeira motorizada?" "Como você consegue?" etc...


Contudo não me considero um herói por tudo isso, as vezes ouvimos alguns elogios e achamos que estamos fazendo algo além, “sobrenatural”, contudo discordo desse ponto de vista veemente, acredito que minha deficiência não me limita de viver, errar e conquistar como qualquer um. Tenho cuidado com o ego para não retroagir nesse processo.

Acredito que é através da persistência que realizamos o impossível, e eu tento buscá-lo e me inspiro em muitos que fazem o mesmo todos os dias.

Minha vida é muito ativa, tanto que acumulo responsabilidades além do permitido, seja com o blog, seja com a faculdade de administração, cursos de inglês e francês, fisioterapia, sócio de empresa e abrindo outra com meu irmão, tesoureiro da associação dos deficientes em minha cidade, e não tenho dúvidas que novas aparecerão. 


Ainda encontro um pouco de tempo durante a semana para tomar uma tequila, beber um vinho com os amigos, o que já me rendeu diversas quedas e confusões (típico de um anti-herói, rsrsrs).

Assim cada dia é um recomeço, me superando sempre, cada pequeno ganho é maravilhoso, o sentimento de conquista e auto-superação é indescritível, problemas todos nós temos, o que precisamos é tirar esse estigma de coitadinhos e exigir da sociedade nosso espaço, nós amamos, trabalhamos, consumimos, nos aventuramos como todos os demais.

Nossa felicidade é algo que só depende de nós, colhemos o que plantamos, seja nessa vida ou em outra, sabe Deus, é muito importante buscar seus objetivos, e quando de repente os alcança, percebe que superou a si mesmo.

“Apesar de todos os medos, dores e angústias experimentados durante o processo, fostes uma pessoa perseverante e determinada, e isso a trouxe para este momento de felicidade. Agora você será capaz de sentir-se satisfeito consigo mesmo e de se apreciar.”


Projeto quadrinhos do TOM


"Nunca deixe que nenhum limite tire de você a ambição da auto-superação"




Hamilton Oliveira.

7 Comentarios

  1. Grande Hamilton ! Grato pela colaboração.

    ResponderExcluir
  2. PARABENS POR SUA SUPERAÇAO POR SUA FORÇA DE VONTADE ; POR SUA VIDA HISTORIA DE VIDA ;; VC MERECE SER FELIZ .

    ResponderExcluir
  3. Parabéns..Você é um exemplo de vida para muita gente. Deus te abençoe muito . felicidades

    ResponderExcluir
  4. Parabénssssssssssss Abraços Flávio Peralta...,

    ResponderExcluir
  5. Olá Hamilton. Vejo que existem muitos obstáculos a serem superados, mas os maiores vem de nós mesmos. Eu vejo o quanto me olham na cadeira de rodas nos locais públicos, quando entro e saio do meu carro sozinho, e ficam esperando alguém aparecer do outro lado, da surpresa dos que não me conhecem e na reunião comercial aparece aquele cadeirante falante e sorridente. No restaurante, no cinema, no teatro, na festa de algum amigo onde seus parentes não me conheciam, enfim, em todos os lugares que me exponho, a maioria das pessoas se surpreendem. Mas isso acontece porque cadeirante era aquele cara acostumado a ser o armário da sala, onde de vez em quando alguém tira o pó. Do mais, ele ficava ali, quieto, parado, esperando uma migalha de atenção de quem estivesse a fim e disponível. Esses tempos já eram, graças a Deus. Podemos e devemos seguir em frente, e os obstáculos devem ser nosso incentivo à superação. Você está correto quando diz que não devemos achar que somos o UÓ da tretraplegia ou paraplegia, por causa de nossas ações, mas eu te digo que ao mesmo tempo, temos que passar esse ânimo e essa vontade que Deus nos deu e ajudar os que não tem o mesma oportunidade. Você está de Parabéns por sua atitude e suas conquistas, e eu te digo, quando fiquei doente, tive que tomar uma decisão muito rápida e mesmo sem saber o que tinha acontecido comigo, percebi que era um problema sério e que tudo iria mudar radicalmente. Por isso, decidi optar por sofrer menos e lutar pelo que ainda poderia ter. Minha Lesão C-7 / T-1 me deixou sem movimentos do pescoço para baixo, mas depois de 10 dias na UTI Neurológica, comecei a ter sinais nos braços e nas mãos, e esse foi meu presente. E a partir desse dia, somente agradeci a Deus pela oportunidade de viver e de voltar a sonhar com aquilo que fosse possível. E corro todos os dias em busca da minha independência física, e só vou me realizar quando tiver conquistado 100% dela. Pessoas como você precisam se expor para melhorar a vida das pessoas com deficiência física. Parabéns por sua garra e determinação. Grande Abraço.
    Ass: Cadeirandando.

    ResponderExcluir
  6. Olá Hamilton. Vejo que existem muitos obstáculos a serem superados, mas os maiores vem de nós mesmos. Eu vejo o quanto me olham na cadeira de rodas nos locais públicos, quando entro e saio do meu carro sozinho, e ficam esperando alguém aparecer do outro lado, da surpresa dos que não me conhecem e na reunião comercial aparece aquele cadeirante falante e sorridente. No restaurante, no cinema, no teatro, na festa de algum amigo onde seus parentes não me conheciam, enfim, em todos os lugares que me exponho, a maioria das pessoas se surpreendem. Mas isso acontece porque cadeirante era aquele cara acostumado a ser o armário da sala, onde de vez em quando alguém tira o pó. Do mais, ele ficava ali, quieto, parado, esperando uma migalha de atenção de quem estivesse a fim e disponível. Esses tempos já eram, graças a Deus. Podemos e devemos seguir em frente, e os obstáculos devem ser nosso incentivo à superação. Você está correto quando diz que não devemos achar que somos o UÓ da tretraplegia ou paraplegia, por causa de nossas ações, mas eu te digo que ao mesmo tempo, temos que passar esse ânimo e essa vontade que Deus nos deu e ajudar os que não tem o mesma oportunidade. Você está de Parabéns por sua atitude e suas conquistas, e eu te digo, quando fiquei doente, tive que tomar uma decisão muito rápida e mesmo sem saber o que tinha acontecido comigo, percebi que era um problema sério e que tudo iria mudar radicalmente. Por isso, decidi optar por sofrer menos e lutar pelo que ainda poderia ter. Minha Lesão C-7 / T-1 me deixou sem movimentos do pescoço para baixo, mas depois de 10 dias na UTI Neurológica, comecei a ter sinais nos braços e nas mãos, e esse foi meu presente. E a partir desse dia, somente agradeci a Deus pela oportunidade de viver e de voltar a sonhar com aquilo que fosse possível. E corro todos os dias em busca da minha independência física, e só vou me realizar quando tiver conquistado 100% dela. Pessoas como você precisam se expor para melhorar a vida das pessoas com deficiência física. Parabéns por sua garra e determinação. Grande Abraço.
    Ass: Cadeirandando.

    ResponderExcluir

Em Alta

Contando sua História com:- Hamilton Oliveira

Bom, geralmente estou do outro lado entrevistando, mas não podia  recusar o pedido David e deste blog que adoro e acompanho sempre que p...