Contando sua Historia com: - Dariane Bruno


Chamo-me Dariane de Jesus Bruno, tenho 24 anos, sou natural de Agudos-SP, mas moro atualmente em Bariri-SP, sou super mamãe de uma linda e amada princesa e futura biomédica. 
Vou falar um pouquinho sobre mim, bem eu sou meio geniosa, talvez tenho uma personalidade meio forte ,mas também sempre sorridente sempre busco meus objetivos e corro atrás dos meus sonhos, nunca desisto do que eu realmente quero . Gosto de séries, games e animes, aliás, amo amime. Meus amigos de verdade são poucos, mas bons e muito construtivos, procuro pessoas que me acrescentem algo de bom,  por isso eu busco sempre amizades construtivas com pessoas  que não desistem fácil das coisas como eu. Porque odeio esses "mimimis" de pessoas com baixa autoestima, carentes, que reclamam de tudo sem lutar para que haja melhora em suas vidas... Sou pisciana, portanto uma chorona nata, mas tenho um ótimo senso de humor posso garantir. Uso muletas para me locomover  a minha deficiência afetou só a parte motora inferior e um pouquinho da fala, graças a Deus, sou praticamente um milagre, alguns dizem por ai e eu realmente acredito nisso.  

Eu fui diagnostica com Paralisia cerebral (PC)  Os médicos como sempre nunca deram muitas expectativas de vida ou mesmo de qualidade dela, falavam que eu não iria andar, falar, que teria atraso mental , que não poderia ter uma vida normal como as outras pessoas ,  Mas sempre estudei em escolas normais como qualquer criança. Fiz vários tratamentos desde psicológicos, fisioterapias e fonodiologia frequentaram APAES e intuições para pessoas com deficiência sempre fora dos horários de aula até meus 18 anos, também fiz várias cirurgias para melhorar minha locomoção e pronto! Provei pra todos eles que estavam errados em relação a mim. Já adulta Comecei a trabalhar em uma empresa metalúrgica, onde eu fiquei por quatro anos, bem foi um ótimo aprendizado, lá eu percebia que precisava de algo a mais, que não poderia acabar o ensino médio e pronto precisava de algo melhor para meu futuro. Então eu comecei a cursar HISTÓRIA, sempre adorei essa matéria e sempre fui apaixonada por civilizações antigas, até que com 21 anos engravidei fruto de relacionamento de 4 anos que não deu muito certo, mas gerou o maior presente da minha vida, então  eu tive que parar de estudar.  Depois que minha filha nasceu comecei a ver a vida com outros olhos, comecei a perceber a importância de cada momento, de cada sorriso, que como eu poderia ser importante pra uma pessoinha e de como ela mudaria o meu modo de ver a vida para sempre. 
Toda a minha motivação e força de vontade vem dela, ela é minha grande expiração, saber que tem alguém que precisa de você não te deixa desistir nunca, mesmo com todas as dificuldades que  temos que enfrentar na vida. Agora com 24 anos voltei a estudar comecei a cursar BIOMEDICIA e foi na área da saúde que eu realmente me encontrei de verdade, ainda sou apaixonada por HISTÓRIA, mas saber que você pode ajudar uma vida, não tem preço é muito gratificante. Espero me formar e ser uma ótima biomédica geneticista em breve e poder  ajudar milhares de pessoas ao meu redor. O problema é que crescemos e as dificuldades crescem  junto, no mundo dos adultos as coisas são diferentes o preconceito aparece e você percebe  que mesmo lutando e batalhando pra ser reconhecida é muito difícil isso, na minha faculdade não tem muita  acessibilidade para pessoas com deficiência, eu e as minhas amigas sempre reivindicamos isso lá, espero poder ver mudanças logo. 
O maior problema ou dificuldade que uma pessoa com deficiência enfrenta eu ainda acho que são os olhares de pena das outras pessoas, acharem que você é inferior  ou ter pena de você por uma limitação física eu acho completamente inaceitável, para mim é pior  do que um xingamento ou algo do tipo, acaba sendo uma forma de preconceito também . Pois somos completamente capazes de ter uma vida normal e saudável como qualquer pessoa  na sociedade, eu sou completamente capaz de fazer tudo oque você faz, talvez com algumas limitações, talvez com tempinho a mais, talvez do meu jeitinho , mas faço e faço bem !  
Ser deficiente não é fácil pra ninguém ainda, mas em um país aonde o direito a acessibilidade ou a inclusão social não se é respeitada como se deveria, Mas não podemos abaixar a cabeça. E ficar reclamando não vai adiantar nada, devemos lutar e exigir os nossos direitos. Porque sempre a primeira mudança  vem de nós mesmos, depois poderemos ver as mudanças nos outros.
“Porque desistir é para os fracos”.

Você se considera resiliente ?
Considerando que resiliência é a capacidade de lidar com problemas, superar obstáculos, sim eu me considero bastante resiliente.

Como foi sua infância e adolescência sendo “diferente” das outas pessoas?
A minha infância, foi praticamente normal eu não tinha percebido ainda que era ''diferente'' das outras pessoas. Já na adolescência senti um pouco mas e meio que me exclui um pouco das pessoas.

Como é sua locomoção ? 
Bem como eu me locomovo mas com muletas do que cadeira de rodas, acho que acaba sendo mas fácil ir e vir dos lugares. Mas correto seria todos os lugares serem acessíveis a todos como é por direito.

Você já sentiu excluída por ser “diferente”?
Na escola já nas aulas de educação física eu sempre ficava de fora.

Já sofreu preconceito? Como se sentiu?
Sim, porém nunca deixei com que isso me afetasse como pessoa, acho que tudo depende da importância que você dá.

Quais as melhores e piores lembranças que você tem do que já passou?
A minha melhor lembrança foi o nascimento da minha filha e as piores lembranças que tenho são da época das minhas cirurgias pois foram complicadas.

Quais as maiores barreiras que você já superou?
 Sem duvida foi a maternidade e conseguir entrar em uma faculdade.

Como foi e tem sido ser mãe com as limitações físicas que você tem?
É um novo aprendizado cada dia que passa, eu necessito do apoio da minha família, eles sempre me ajudam muito em relação a minha filha. Tudo para nós que temos algumas limitações físicas acaba sempre mais complicado, mas só tenho a dizer que é uma experiencia incrível e que amo cada vez mas a minha pequena.

Quais são seus planos e sonhos para o futuro?
Eu espero ser financeiramente independente me formar e conseguir formar a minha filha também.

Como se sente hoje sendo uma pessoa “diferente” da maioria, como você se vê?
Eu me sinto normal, com meu amadurecimento aprendi a me orgulhar da minha história e de quem eu sou hoje.

Você é feliz?
SIM! Eu tenho muito mais o que agradecer do que de reclamar.

Como é sua autoestima?
É boa! Toda mulher tem suas oscilações com relação a isso, mas em geral sempre me acho linda. rsrsrs

Na sua opinião como é a sexualidade da pessoa com deficiência?
Acho que pode ser normal, dependendo do parceiro que você se relaciona e do modo que você se ver.

O que você mais valoriza?
Os momentos bons.

De que você se arrepende?
Eu não tenho muito do que se arrepender, pois acho que tudo o que passamos na vida vale como aprendizagem.

Você tem muitos amigos?
Não, mas os que eu tenho valem por mil.

O que sua família significa para você?
Minha base meu apoio.

O que é Deus para você?
Um ser incrível de puro amor, Deus é amor o resto é só religião.

Como você descreve sua fé e como ela te ajuda?
Apesar de não me identificar com nenhuma crença religiosa, eu sempre tive muita fé e faço minhas preces, mas sempre procuro agradecer mais do que pedir. Minha fé sempre me ajudou a superar meus medos, minhas dificuldades acreditar que existe uma pessoa cuidando de você pra mim é super. Gratificante e confortante. 

Como você tenta influenciar o mundo com sua maneira de viver?
Eu não tento, cada um devia olhar pra sua própria vida e seguir o seu próprio exemplo, sem precisar de alguém pra te incentivar. 

Se pudesse o que você mudaria no mundo?
O preconceito, mas todo tipo de preconceito seja racial, de orientação sexual ou de classe social. Não só contra as pessoas com deficiência. Sem o preconceito mundo seria bem melhor!

O que você faz para tornar o mundo melhor?
Eu sempre procuro participar de projetos e campanhas de conscientização sobre a deficiência. 

Em que você cresceu como pessoa depois de tantas dificuldades em sua vida?
As minhas dificuldades só me ensinaram a ser uma pessoa melhor e não desistir no primeiro "não" que eu fosse ouvir, hoje sou mais forte.

Deixe uma mensagem para os leitores do blog!
Nunca deixe que sua deficiência seja maior do que você, sua história ou seus sonhos, nunca baixe a cabeça pra ninguém ou se sinta inferior por alguma limitação física, limitações todos temos se supere e mostre que você é capaz.

Eu conheço muitos deficientes que lutam correm atrás dos seus sonhos, que buscam o seu lugar ao sol, mas infelizmente também conheço tantos outros que se escondem no quarto e só reclamam da vida. Bem eu não julgo, pois também tive meus momentos ruins até que um dia eu acordei para vida e percebi  que só quem pode escrever a sua história é você mesmo, então por favor escreva um final feliz! 

Rapidinhas:
Defeito/qualidade?  Teimosia/sinceridade.
Eu deveria ser... Paciente.
Uma palavra? Vida.
Um verbo? Superar.
Uma musica? Anjo Velho.
Hobby? Animes.
Amigos?  Importantes.
Família? Base.
Filhos? Amor.
Trabalho? Importante.
Amor? Maravilhoso.
Saudade? Juninho.
Muletas ? Parceiras. 
Superação? Vitória.
Alegria?  Conseguir.
Orgulho? Filha.
Deficiência? Preconceito.





"Os verdadeiros vencedores na vida, são pessoas que olham para cada situação com a esperança de poder resolvê-la ou melhorá-la"




"Ainda que seu passado tenha marcas, seu futuro está intacto e so depende de suas escolhas hoje"

Dariane Bruno


3 Comentarios

  1. Genial, amei essa linda história, um reflexo degarra, força,fé e superação.
    Se todos seguiram essa linha teríamos mais ressoas realizadas de dentro para fora.
    Parabéns Dariane Bueno.

    ResponderExcluir
  2. Nossa arrasou disse tudo !

    ResponderExcluir
  3. Linda menina com uma linda história! parabéns

    ResponderExcluir

Em Alta

Contando sua História com:- Hamilton Oliveira

Bom, geralmente estou do outro lado entrevistando, mas não podia  recusar o pedido David e deste blog que adoro e acompanho sempre que p...