Contando Sua História com:- Anália Costa

Bom no dia 27 de março de 1997, minha vida mudaria por completo eu tinha acabado de completar 15 anos, achava que já tinha passado por momentos difíceis mais nem  de longe eu havia passado por algo parecido.
Era um feriado e  por isso eu não  estava na escola, lembro que trafegávamos na pista em um carro de passeio, quando meu pai parou no semáforo para fazer um retorno, um caminhão bateu atrás do carro que estávamos e lembro-me que o carro revirava, as imagens ainda estão em minha memória.

O motorista do caminhão bateu a primeira vez e depois me parece que por conta do nervosismo na hora de se evadir do local, bateu  novamente no lado do carro onde eu estava, mais uma vez, lembro do meu pai desesperado me olhando, minha mãe chorando, e um homem  deixou sua família do outro lado da pista e saiu do carro dele, disse que não poderia fazer nada por mim, só segurar meu pescoço, e foi isso que salvou minha vida! Fiquei tetraplégica, só mexia os olhos eu não sabia como poderia ser difícil minha vida dali pra frente.
Eu fiquei com muita vergonha no começo eu não queria ver ninguém passava boa parte do tempo dormindo pra esquecer, eu não tinha movimento algum, perdi amigos, namoro, nada diferente da realidade que muitos amigos nossos passam.
 Eu passei anos de pura tristeza, ausência de mim mesma, era como se estivesse fora de meu corpo, vendo a vida passar sem conseguir reagir. Graças ao bom Deus não há mal que dure para sempre, minha vida aos poucos foi tomando um novo rumo, aos poucos meus braços foram voltando, eu também fui tomando mais consciência de quem eu era, do meu valor, mas não pensem que foi do dia pra noite, chorei muito, já fui muito desprezada, esquecida, já vi a vida passar.
Hoje aos 32 anos, conquistei muitos movimentos, malho com pesos aqui em casa todos os dias de domingo a domingo, sou estudante de direito do 10º período, sou conciliadora na Vara de Família no TJ de Campo Grande RJ, conquistei o respeito das pessoas, dos colegas da faculdade, hoje escrevo sozinha, penteio meus cabelos, me maqueio, escovo os dentes, me cuido, consigo fazer exercícios nas pernas sozinha, contratamos uma fisioterapeuta e faço fisioterapia aqui em casa, faço parte de uma CIA de dança adaptada. Nessa  última vez que me apresentei uma senhora veio me dizer que danço com a alma que minha expressão dançando é linda, me senti feliz, é gratificante alguém admirar a dança de uma tetraplégica.


 Eu sou feliz, me respeito, respeito meu próximo, sei o valor das pessoas e o meu também. Infelizmente há dois anos, a senhora morte entrou em minha casa e levou meu pai, aquela foto  da timeline no face foi um dia antes dele ir, pediu pra tirar comigo e no outro dia se foi. Sei como foi difícil pra ele me ver cadeirante, sei que ele morreu quando o médico disse pra ele que ficaria somente deitada, ainda assim ele me levou pra escola, depois pra faculdade, não me sinto á vontade em desistir, meu pai nunca foi fraco, ele só precisou descansar.


Cedo ou tarde eu irei encontra-lo. E quanto a  minha família, mamy, irmãos todos são pessoas maravilhosas, querem me ver bem fazem o que podem pra isso, amo vocês ... com vocês tudo fica fácil, Sem vocês, nada eu seria.
Essa é só uma parte de minha história, estou escrevendo o resto, falta ser mãe, ser bem sucedida ajudar outras pessoas.
Essa sou eu Fernanda Pereira Chagas de Oliveira (Anália).

EU AMO A VIDA.





"Paz e harmonia: eis a verdadeira riqueza de uma família".






"O degrau de uma escada não serve simplesmente para que alguém permaneça em cima dele, destina-se a sustentar o pé de um homem pelo tempo suficiente para que ele coloque o outro um pouco mais alto".



https://www.facebook.com/analia.costa.81


https://www.facebook.com/pages/Acima-dos-Limites/575343939241414

                                                                                                                                            Anália Costa.

18 Comentarios

  1. Parabéns Anália pela superação e exemplo! Grande vencedora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido te agradeço pelo prazer de compartilhar aqui um pouco de minha história bjss

      Excluir
  2. Cada um de nós compõe a sua história
    Cada ser em si
    Carrega o dom de ser capaz
    E ser feliz...

    ResponderExcluir
  3. BOOOOOOOOOM DEMAIS.. Quando eu crescer quero ser forte como você... sua linda.

    ResponderExcluir
  4. Essa e minha amiga,irmã do <3 q amo muito,minha guerreira!!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Anália, fiquei arrepiada de emoção... um beijinho no seu coração querida :*

    ResponderExcluir
  6. Buenas Me llamo Mihai Florea soy un chico con un discapacidad intelectual vivo en el puevlo de capital de ajo que se llama las pedrñeras cuenca Castilla España y soy un chico rumano tengo 31 años y me gusta tener mucoso amigos y amigas si no te molesto te digo que me gusta encontrar una pareja y con un discapacidad y me puedes llamar al número de mi teléfono que se (0034)664660041 Mihai Florea muchísimas gracias adios

    ResponderExcluir
  7. gatinha vc e fofa falta so mida ua xaci de namora cotigo rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa vou pensar......valeu pelo carinho......

      Excluir

Em Alta

Contando sua História com:- Hamilton Oliveira

Bom, geralmente estou do outro lado entrevistando, mas não podia  recusar o pedido David e deste blog que adoro e acompanho sempre que p...