Contando sua História com:- Marielle Peres

Meu nome é Marielle Peres, sou de Mato Grosso, tenho 25 anos, cursando 2° ano de ciências contábeis e cadeirante há 5 anos e 7 meses. 
Bem, minha vida teve uma mudança repentina aos 19 anos, no dia 22 de agosto de 2009, um dia de sábado, precisamente um dia de trabalho, "aparentemente" seria um final de semana normal como todos os outros passados. Por volta de 22:00 horas cheguei em casa, tomei um banho e como havia combinado com os "amigos" iriamos em uma festa popularmente conhecida na região do Médio Araguaia “ MICARETINA ”, em uma cidade com aproximadamente 150 km de distância de onde morávamos. Fomos nós, procurávamos festa e diversão, sem imaginar o que poderia nos acontecer... Até aí tudo bem, dançamos, curtimos, como se fosse a última festa, o último momento, a despedida! E foi... No retorno para casa na madrugada do dia 23/08/09 aconteceu o mais trágico, o inesperado, algo que em nossa mente seria impossível acontecer: UM ACIDENTE. Começo de um desespero, de mudança de planos, de mudança de vida, de certa forma foi... Ceifou sonhos e vidas! Sim, esse acidente veio a ceifar duas vidas. Dois jovens, duas pessoas maravilhosas, começando a viver, com um futuro brilhante pela frente, mas nesse dia foi destruído! E eu, como todo jovem tinha uma vida muito ativa, muitas festas com os amigos, gostava de acelerar minha moto, trabalhava muito. Além disso, fazia uma porção de outras coisas mas... Meus sonhos, amizades, lazer, corpo, carreira profissional, estudos, modo de pensar e agir, sentimentos, enfim toda minha rotina e vida mudaram a partir deste dia. Passei a fazer parte dos portadores de alguma deficiência física. 
Quanto aos detalhes do acidente prefiro não comentar, mais isso resultou em uma lesão medular (T12/L1), TCE (Traumatismo Crânio Encefálico), começo de Paralisia do lado direito do meu corpo, alguns dias em coma, me tornando PARAPLÉGICA. De começo perdi todos os movimentos e sensibilidade até a altura da minha lesão, ou seja perdi metade do meu corpo. Com a gravidade do acidente passei por uma cirurgia onde foram fixadas as vértebras da coluna, permaneci 8 dias em coma, 19 dias hospitalizada e imobilizada por mais 9 meses com colete, se hoje estou viva só tenho a agradecer a Deus, por ter me dado uma segunda chance para viver, de ser alguém melhor do que fui... Ao longo desses anos tive uma enorme lição de vida, aprendi, estou aprendendo e sei que vou aprender muito mais com tudo isso, reconheci minhas amizades verdadeiras, com quem posso contar nos momentos difíceis e, conheci também as pessoas que poderiam me prejudicar. Não é pelo fato de ter me tornado “para” que vou parar minha rotina, mudar meu caráter ou deixar de ter sonhos, mudar minha vida... e sim é um motivo enorme a mais que tenho para batalhar e lutar com uma nova visão de mundo e de sonhos. Assim provando a mim e aos outros que não é pelo fato de ser cadeirante, ou por ter algumas limitações, que devo privar-me da rotina, sei que posso fazer TUDO o que fazia no passado e a maioria das vezes melhor que antes e do que outras pessoas, basta querer... Agradeço muito a Deus, meus familiares, parentes, amigos antigos, aos novatos que chegaram e a todos que de alguma forma me ajudaram tanto na recuperação, quanto na reabilitação ou que me apoiaram e continuam me apoiando ao longo dos dias que passam!

O nome de nossa página no face é Acima dos Limites! O que você pode falar sobre viver Acima dos Limites? 

Os que vivem a vida...
Como você se sentiu quando descobriu que não poderia mais andar? 

Só tinha um pensamento: como vou viver a vida sobre rodas?! Não tinha conhecimento do que era ser "um cadeirante", mais tentei me manter calma para não deixar chegar o sentimento de revolta sobre o acontecido. 

Você acredita que ainda vai andar? 

Com tantos avanços na medicina, não podemos desacreditar. Afinal, a esperança é a última que morre. rsrsrs

Como foi sua reabilitação e a quais tratamentos você se submeteu? 

Quando estava internada fazia fisioterapia no hospital e após a alta hospitalar continuei fazendo fisioterapia em uma clínica na qual continuo até os dias de hoje.

Como é ficar em coma? Você lembra de algo desse tempo? 

Estar em coma é como dormir, sem escutar nada de ninguém. Não tenho de lembranças de exatamente nada.

Quais suas conquistas sobre rodas? 

A que considero maior de todas as minhas conquistas foi ter de volta a minha independência.

Como você se sente hoje? 

Felizzzz, apesar de ainda ter alguns conflitos internos.

Quais seus sonhos e objetivos? 

Concluir a faculdade, passar em um concurso, ter uma boa qualidade de vida, construir uma família e com certeza voltar a andar. Sonhar é viver!!!

Qual a maior lição que você já aprendeu? 

A maior lição que já aprendi é que a vida é um constante aprendizado. Que ignorar os fatos não faz com que eles mudem, que o amor é uma chama que se deve alimentar todos os dias. Que o melhor alicerce para a felicidade é ser verdadeiro... Que dinheiro não compra amizade, que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar a aparência, que a dificuldade é só um estímulo à descoberta de nossos verdadeiros potenciais. Que a felicidade não está no fim da jornada, mas no percorrer do caminho. E, por fim, diga sempre às pessoas o quanto as ama, faça agora o que deseja, e se não for falar coisas boas, fique calado... Talvez não haja amanhã!

Como você se sente sendo um exemplo para muitas pessoas e o que você tenta passar no seu modo de viver?

Não me sinto sendo um exemplo, mais sim uma entre vários tentando superar as dificuldades encontradas no dia a dia sempre com um sorriso nos lábios!

Você acredita em Deus? O que ele representa para você? 

Sim... Ele representa TUDO para mim, Ele é um amigo fiel disposto a me ouvir sempre que estou aflita. Deus é Fiel!!!



Qual a importância da sua família para você? Minha base!!! Vivo por eles...

Agora você pode falar algo especial as pessoas que você ama. A minha família, aos amigos que ficaram, aos novos que chegaram e permanecerão... minha eterna gratidão sem o apoio de vocês eu não seria quem sou hoje, obrigada por tudo!


Rapidinhas:

Uma palavra? Sonhar.
Um verbo? Viver.
Qualidade/defeito? Sincera/Orgulhosa.
Eu deveria ser... Tranquila.
Um livro? Na minha cadeira ou na tua.
Um filme? Pronta para amar.
Deus? Fé.
Amigos? Essencial.
Família? Meu tudo.
Amor? Ninguém vive sem.
Saudade? Tortura...
Cadeira de rodas? Locomoção.
Vaidade? Faz parte.
Superação? Dia após dia.
Tristeza? Momentânea.
Alegria? Sorriso espontâneo.
Derrota? Aprendizado... 
Vitória? Agradecimento!!!







Em duas palavras eu posso resumir tudo que aprendi sobre a vida: Ela continua!






"Deixe que seus sonhos sejam maiores que seus medos"






Solidão?
Como definir?
É um ato de ficar só?
Ou será ter varias pessoas próximas, mas longe de si mesmo?
Meio complicado para se explicar... Por muitas vezes acreditei que se estivesse várias pessoas por perto não me sentiria assim, mas por várias vezes me provei, que nem por isso possa estar livre da tal solidão. Deve existir diversas formas para se retratar sobre a mesma.
Sinto-me só, quando realmente estou só... Ou quando só não estou, mas não me encontro?
Quando me encontro, e vejo que só estou, mas também nem é por isso que me bate solidão...
Solidão por dentro, falta de sentimento, falta de pensamentos!
Por muitas e muitas vezes, fui questionada, sobre meu jeito, minhas manias...
Perguntam-me, se escondo por que gosto, ou por medo...
Sorrio por que estou bem, ou por que escondo? ... Sofrimento, tristeza... E SOLIDÃO!
Sempre digo que não escondo nada, mas agora comecei a ficar na dúvida, será que escondo tão bem, que estou a esconder ate de mim mesma?!?
Ou será que estou bem de mais, e as pessoas não aceitam, ou não acreditam que posso ser assim?
Seria improvável alguém se esconder por tanto tempo assim, seria um absurdo alguém se alto enganar...
Seria óbvio alguém querer esconder as coisas que não gosta de lembrar, ou de reviver... Seria normal optar por viver assim!
Confusão é pouco para tudo que penso, se eu fosse capaz de responder tudo isso, em alguns instantes eu assumiria que estou a ponto de ficar louca, se já louca não estou...
Sinto-me mais só perto das pessoas, do que quando realmente só estou... Divirto-me sozinha, me imagino onde quero, e até mesmo como quero ser... Quando perto de pessoas estou, vejo que mais longe fico de mim mesma, na maioria das vezes tento fazer todos rirem e se divertirem, e se esqueço da minha pessoa! Vejo o quanto as pessoas são egoístas, o quanto estou longe de agradar ou ser amiga de todos...
Minha solidão na maioria das vezes me serve como refúgio, mas não de mim...
... E sim do “Mundo”. (Marielle Peres)



Inatagram: @marielleperes1

Marielle Peres

4 Comentarios

  1. Quando a vontade de vencer supera as dificuldades da vida, a alegria de viver esplandece no olhar. te desejo um futuro melhor e de sempre o melhor de ti.bjus

    ResponderExcluir
  2. euso caderantes a 5 ano adorei sua estoria de superaçao' euvo vecem se deus qize tabem

    ResponderExcluir
  3. euso caderantes a 5 ano adorei sua estoria de superaçao' euvo vecem se deus qize tabem

    ResponderExcluir
  4. Que coisa mais linda! Vc é um exemplo de superação.

    ResponderExcluir

Em Alta

Contando sua História com:- Hamilton Oliveira

Bom, geralmente estou do outro lado entrevistando, mas não podia  recusar o pedido David e deste blog que adoro e acompanho sempre que p...