Contando sua HIstória com:- Ana Claudia Santos

Olá me chamo Ana Claudia dos S. Caldeira , tenho 16 anos,  moro em Belo horizonte, sou cadeirante há 3 anos e vim contar um pouco da minha história .
Na madrugada do dia 08 de setembro de 2012, eu estava em um show na cidade de Datas-MG com minha mãe e minha família curtindo, até que houve uma discussão entre meus familiares  e minha mãe decidiu ir embora, mas eu disse que não iria porque estávamos no nosso carro, e minha mãe já havia ingerido bebida alcoólica. Minha mãe entrou no carro e disse que estava indo e que era para eu entrar no carro. Fiquei quase 1 hora falando que não iria entrar no veículo, até que eu acabei entrando, no carro estavam eu, minha mãe, minha prima e um amigo, quando estávamos todos dentro minha mãe arrancou com o carro, não andamos 3km, minha mãe perdeu o controle do carro rodou na pista e bateu em um barranco, fui arremessada pra fora do carro, caí de costas em cima de um

cupinzeiro,  eu estava consciente em todo o momento, mas não sentia minhas pernas, naquele momento do acidente passou um taxista que nos prestou socorro. Fui levada ao Hospital de Diamantina, chegando lá fiz exames que mostravam fratura das vértebras  T9 T11 (torácica), explosão de T10, compreensão medular, fratura de C6 (cervical) e 2 costelas quebradas. Foi confirmado a paraplegia dos membros inferiores. Me transferiram para o hospital Biocor em Belo Horizonte, onde foi feito uma cirurgia na coluna, fiquei internada durante 25 dias neste hospital , de lá mesmo fui transferida para o hospital de reabilitação Paulo de Tarso, fiquei lá durante 5 meses, fazendo fisioterapia, quando cheguei lá eu não conseguia ficar sentada, não conseguia comer sozinha entre muitas outras coisas, eu sai de lá em janeiro de 2013 andando numa órtese longa, sentada e me alimentando só, durante todo esse tempo no hospital, conclui a 8° série e enfim em casa comecei enfrentar as diferenças, com os preconceitos, entre muitas outras situações “uma vida nova” mas nada disso me abalou, fui procurar fazer tudo aquilo que seria melhor para mim, continuei meus estudos,
procurei praticar esportes, fiz natação durante 1 ano e 8 meses, por algum tempo joguei tênis de mesa, até que me apareceu uma oportunidade muito grande! Entrar para o Tennis em Cadeira de rodas (Wheelchair Butija Tennis), esporte que me identifiquei e que eu amo, estou na pratica desse esporte à 1 ano e 6 meses, amo o que eu faço, estou no 2° do ensino médio, faço curso técnico, academia, sou feliz e vivo minha vida normalmente como qualquer outra pessoa !

hoje só tenho que agradecer a deus por tudo que ele fez e tem feito por mim , agradecer também pela minha mãe guerreira que dedica todo seu tempo a mim ,pelos meu amigos , familiares , vizinhos, meu treinador Léo Butija entra outras pessoas que fazem parte dessa história, que me ajudaram e me ajudam até hoje , pois se eu faço tudo isso , é porque tem a mãozinha de cada um desses


Conte-nos um pouco de sua vida antes da lesão?
Antes da lesão sempre levei uma vida agitada, desde bem novinha tive que aprender a fazer as obrigações de casa, porque minha mãe trabalhava muito e eu passava a maior parte do tempo com o meu Pai, aprendi tudo muito cedo a lavar, passar, cozinhar, me virar só como uma pequena dona de casa. Eu também estudava, praticava esportes, entre muitas outras coisas. Em maio de 2012 perdi meu pai, minha mãe parou de trabalhar para cuidar de mim. Quatro meses depois no dia 08 de setembro sofri acidente de carro e fiquei na cadeira de rodas.
Em que momento você percebeu que precisava se superar e viver da melhor maneira possível?
No momento em que minha mãe já depressiva parou ao lado da cama em que eu estava no hospital e disse: “SENHOR PORQUE NÃO SOU EU NESTA CAMA, NO LUGAR DA MINHA FILHA, ANTES EU DO QUE ELA, PORQUE SENHOR”. Essa frase foi tudo! Me fez erguer a cabeça e superar o que estávamos passando, pois se Deus me deu está cruz para carregar é porque ele sabe que sou capaz de carregá-la até o final. 

Onde você encontrou forças para recomeçar?
Primeiramente em Deus, depois minha mãe, minha família e meus amigos! Todos juntos com a força da oração.


Sabemos que o preconceito é uma infeliz realidade! Já sofreu preconceito? Como se sentiu?
JÁ SIM! Me senti pequena em volta de tanta gente com o coração cheio de coisas ruins, naquele momento nem tive o que dizer mas depois parei para pensar: "não posso demonstrar fraqueza ao lado de pessoas baixas" tenho que mostrar para eles que eu posso, eu sou capaz e eu consigo!

Quais as piores lembranças que você tem do que já passou?
Perder do meu Pai, o momento do acidente e a depressão em que minha mãe entrou quando aconteceu o acidente e ela estava dirigindo.

Como é sua rotina diária?
Estudo de segunda a sexta de 07:00 ás 11:20, Jogo Tennis em cadeira de rodas todas as segundas e quartas de 15:00 ás 17:00 pego dois ônibus para ir e dois para voltar, Faço academia terça, quinta e sexta no horário da noite e aos sábados faço curso técnico na parte da manhã, essa é minha rotina diária !

Quais suas limitações físicas hoje? E como você analisa a acessibilidade por onde você passa?
Minha maior limitação física hoje é a falta de acessibilidade, em comércios, ruas, espaços públicos como parques, clubes, casas de shows, restaurantes entre outros locais. Eu analiso e vejo isso hoje como um descaso total, pois somos deficientes, mas gostamos de nos divertir, passar nosso tempo, frequentar ambientes públicos e isso é um direito nosso.

Em sua opinião quais as maiores dificuldades de um cadeirante e como você convive com isso?
Em minha opinião a maior dificuldade de muitos cadeirantes hoje é a vergonha de viver no meio dessa nossa sociedade tão difícil. Pois muitos acham que somos inválidos, que não podemos fazer nada, não podemos frequentar certos lugares, também pelo modo das pessoas olharem etc... Mas este não é meu caso me dou bem com a sociedade, não me importo com o que as pessoas pensam ou falam de mim, principalmente se for algo que falam para me deixar triste ou magoada, até mesmo porque as pessoas só falam daquilo que o coração delas está cheio!

Quais suas conquistas no esporte? E o que ainda deseja conquistar?
Durante 1 ano e 6 meses no Tennis minha conquista maior foi ver minha evolução a cada dia, ter jogado meu 1° torneio, e acima de tudo ter conquistado uma família que me acolheu de braços abertos, que me dão total apoio. Isso me faz sonhar cada dia mais “FAMÍLIA BUTIJA”.  

O que você precisa para se tornar uma atleta de alto nível?
FOCO, FORÇA, DETERMINAÇÃO & FÉ!

Quais seus sonhos e projetos para o futuro?
Para um futuro bem próximo me formar no ensino médio, concluir meu curso técnico e crescer na carreira de Atleta no Tennis em cadeira de Rodas.

Como se sente hoje sendo uma pessoa “diferente” da maioria como você se vê?
Nossa me sinto muito feliz, não tem nada mais gratificante do que viver nesse mundo das cadeiras, aprendi a ver o mundo de uma forma totalmente diferente. #eusoudiferente! 

Você é feliz?
A felicidade vive em mim!

Como é sua vida sentimental?
Nossa minha vida sentimental é só “AMOR”, me amo demais.

Como é sua autoestima?
Lá encima \o/\õ/\o/ sempre sorrindo, é muito difícil me ver com raiva, triste ou para baixo.

O que você mais valoriza?
Hoje o que eu mais valorizo são os mais simples detalhes da vida e acima de tudo o maior valor vai para aqueles quem estão comigo quando mais preciso minha mãe, meus amigos e minha família.

De que você se arrepende?
Daquilo que não fiz ontem.

Você tem muitos amigos?
Tenho mais que o necessário, amo eles.
O que sua família significa para você?
Caramba eles significam muita coisa, é tanta que nem sei o que dizer, eles são demais.

O que é Deus para você?
Deus é tudo em minha vida, sem eu nada seria.

Como você descreve sua fé e como ela te ajuda?
Ela me move e me faz ter uma intimidade maior com o senhor.

Se pudesse o que você mudaria no mundo?
Nossa muita coisa, principalmente as pessoas.

Deixe uma mensagem para os leitores do blog!
Cadeira de rodas, deficiência, o que para muitos é constrangedor, para mim é apenas um objeto qualquer que não me impede de viver e ser feliz como todos, sou a verdadeira prova de um milagre de Deus. As melhores experiências vividas neste tempo, à quebra de barreiras, os momentos de superação, de conquistas, vitórias, exemplos de sabedoria etc.. Tudo isso e mais um pouco que fez com que eu não desistisse de viver minha Vida normalmente como outra pessoa qualquer, como me divertir, sair, praticar esportes, estudar, etc.. Uma história de superação para muitos, só mesmo quem está do meu lado, ou os que vêm me acompanhando desde o fato ocorrido sabem o quanto fui forte, Guerreira, para chegar onde eu estou. Hoje só tenho que agradecer a Deus primeiramente, aos meus familiares, amigos que permaneceram do meu lado mesmo após o acidente, e também aqueles que conquistei no decorrer destes anos, que me apoiaram e me apoiam até hoje .. Sou muito grata por Tudo, principalmente por ter superado os meus limites! 
MORAL: "Não desista de viver ou de ser feliz por uma coisa que você é capaz de superar, olhe para o lado pessoas com um problema maior que o seu e são Felizes e sentem o prazer de viver mesmo com todas as suas dificuldades e limitações”.


Rapidinhas:

Defeito/qualidade? Impaciente/Alegre.
Eu deveria ser... Mais paciente.
Uma palavra? Determinação.
Um verbo? Ser feliz.
Uma musica? Vida ou morte – CPM 22
Deus? Minha estrutura.
Amigos? A melhor parte de mim.
Família? Bagunça.
Amor? Sentimento mais lindo.
Saudades? Pai.
Cadeira de Rodas? Amiga pra todas as horas.
Superação? Não tem nada melhor .. haha.’
Tristeza? Nem sei o que é isso mais.
Alegria? Meu sobrenome.
Esporte? É vida.
Orgulho? Eu.










 “A grande glória da vida não está em nunca cair, mas se levantar a cada vez que caímos”.










 “O primeiro passo para vencer é acreditar que você pode”.







 “O importante não é vencer todos os dias, mas sim lutar sempre”.


https://www.facebook.com/profile.php?id=100001524676518

https://www.facebook.com/acimadoslimitesoficial

Ana Claudia.

5 Comentarios

  1. Só tenho q me orgulhar de VC. Nunca desistiu, smp mto feliz, dando força pra sua mãe. Te amo linda obrigada por fazer parte da minha vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu só tenho que agradecer a vc por tudo qe fez por miim , por ter cuidado de mim nos momentos em que mais precisei , TE AMOOOOO muiito sua linda ! <3

      Excluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de saber se consigo entrar em contato com a Ana... Tem facebook, email, ou alguma outra rede social??

    ResponderExcluir

Em Alta

Contando sua História com:- Hamilton Oliveira

Bom, geralmente estou do outro lado entrevistando, mas não podia  recusar o pedido David e deste blog que adoro e acompanho sempre que p...